PERCURSOS PEDESTRES AGROAL

O Agroal dispõe de dois percursos pedestres identificados, ao longo dos quais é possível contemplar todo o esplendor desta paisagem cársica. Por entre escarpas e afloramentos rochosos, característicos deste ambiente, é possível encontrar um sem número de espécies quer de fauna, quer de flora que dele dependem. Entre as espécies arbóreas destacam-se o carvalho-cerquinho e a azinheira (encontrando-se aqui a mais extensa área de azinhal sobre calcários do território português). Típico de matas mediterrânicas, é muito comum encontrar arbustos como o carrasco, o medronheiro e as madressilvas. Mais ao nível do solo é ainda muito vulgar o surgimento de espécies como a rosa-albardeira, o narciso dos calcários, as bocas-de-lobo bem como um vasto e precioso portefólio de orquídeas, entre elas a orquídea-piramidal, a erva-abelha, a heleborina-de-folha-estreita, a erva-do-salepo e a erva-borboleta. Os afloramentos calcários são igualmente ricos em musgos e fetos como a douradinha ou o avencão.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ao longo dos percurso é ainda possível contemplar as várias estruturas geomorfológicas típicas da paisagem cársica nomeadamente o canhão flúvio-cársico, assim como várias reentrâncias de acesso a pequenas lapas ou grutas e onde é possível encontrar várias espécies de morcegos cavernícolas. A nível de fauna, o Agroal serve de habitat a enumeras espécies, algumas delas bastante peculiares. As verdejantes galerias ripícolas servem de abrigo a aves como o rouxinol-bravo, a galinha-de-água, a alvéola-amarela bem como aos discretos guarda-rios e o goraz. Mamíferos como o toirão, o texugo, o musarinho-aquático e a lontra que se alimenta de espécies como a lampreia-de-riacho e o bordalo, anfíbios como a rã-verde e répteis como a cobra-de-água. É possível ainda disfrutar da presença de aves como o melro-preto, a toutinegra-do-mato, o pica-pau malhado, o picanço-barreteiro, o rouxinol entre outros.

Estão à disposição dos interessados dois percursos definidos, de extensão e características distintas: Um primeiro, de aproximadamente 1.8km, ao longo da encosta adjacente ao canhão flúvio-cársico que permite disfrutar de toda a envolvente geológica bem como da rica e variada fauna e flora, tipicamente mediterrânicas. O percurso passa junto à praia fluvial que, de verão, é um ponto de grande afluência turística, pelas suas conhecidas características. O segundo percurso, de aproximadamente 8.1km de extensão, disponibiliza uma paisagem diferente do anterior, com um coberto vegetal constituído essencialmente à base de espécies arbóreas tipicamente mediterrânicas onde se destaca o carvalho-cerquinho e a azinheira e percorrendo várias aldeias, pelo que é, em grande parte feito ao longo de troço pavimentado.

A melhor altura do ano para efetuar os percursos será a primavera, pela fluorescência de fauna e flora mas também o outono pelos tons intensos que esta estação proporciona. Nos meses de verão a zona é usada essencialmente por turistas que se deslocam à praia fluvial. Os percursos iniciam-se junto ao Parque Natureza do Agroal que poderá ser visitado em complemento aos percursos, usado para repousar ou até mesmo acampar, mediante marcação prévia.